Clarice Lispector

Nuestra truculencia


Cuando pienso en la alegría voraz
con la que comemos gallina en salsa parda,
me doy cuenta de nuestra truculencia.
Yo, que sería incapaz de matar una gallina,
y que tanto me gustan vivas,
meneando el feo cuello
y buscando lombrices.
¿Deberíamos no comerlas ni su sangre?
Nunca.
Nosotros somos caníbales,
es necesario no olvidarlo.
Y respetar la violencia que tenemos.
Y, quién sabe, si no comiésemos gallina en salsa parda
nos comeríamos a la gente con su sangre.

Mi falta de coraje para matar una gallina
y sin embargo comerla muerta
me confunde, me espanta,
pero lo acepto.
Nuestra vida es truculenta:
se nace con sangre
y con sangre se corta la unión
que es el cordón umbilical.
Y cuántos mueren con sangre.
Es necesario creer en la sangre
como parte de nuestra vida.
La truculencia
es amor también.


NOTA
La galinha ao molho pardo (gallina en salsa parda u oscura) es un plato típico del estado de Minas Gerais, Brasil, en el que se añade al guiso la propia sangre de la gallina.

Clarice Lispector. Nossa truculência (escritas.org)
Traducción de Enrique Gutiérrez Miranda

Nossa truculência

Quando penso na alegria voraz
com que comemos galinha ao molho pardo,
dou-me conta de nossa truculência.
Eu, que seria incapaz de matar uma galinha,
tanto gosto delas vivas
mexendo o pescoço feio
e procurando minhocas.
Deveríamos não comê-las e ao seu sangue?
Nunca.
Nós somos canibais,
é preciso não esquecer.
E respeitar a violência que temos.
E, quem sabe, não comêssemos a galinha ao molho pardo,
comeríamos gente com seu sangue.

Minha falta de coragem de matar uma galinha
e no entanto comê-la morta
me confunde, espanta-me,
mas aceito.
A nossa vida é truculenta:
nasce-se com sangue
e com sangue corta-se a união
que é o cordão umbilical.
E quantos morrem com sangue.
É preciso acreditar no sangue
como parte de nossa vida.
A truculência.
É amor também.